Ivan Jubert Guimarães
05,06.2006
 


Eu não acredito mais que possa acontecer algo de bom para a humanidade.
Do jeito que as coisas estão parece que um final trágico espera por todos nós. Já falei sobre omissão, o pior dos cânceres; o omisso é aquele de quem nada se pode esperar.


Por causa dos omissos, muitos já foram condenados à morte.
Quantas mentiras prevaleceram sobre a verdade, por causa dos omissos. O omisso é aquele que vê, mas finge que não viu. É aquele que escutou, mas finge que não ouviu. É aquele que mente, mas diz que não disse nada. O que assusta, o que preocupa, é que eles estão crescendo. São em número cada vez maior.


Estão espalhados em quase todos os setores da sociedade e por todo o mundo. São covardes, desonestos, fazem parte da escória humana. São manipuladores de opinião, são legisladores de causas próprias, são políticos, são profissionais liberais, são chefes de família, são patrões, são empregados. Há momentos em que nem percebemos  mais a podridão em que vivemos porque já nos acostumamos com o cheiro ou já fomos contaminados.


Desde menino, eu sempre gostei de assistir filmes onde houvesse julgamentos. Tinha uma grande inclinação para a carreira do Direito. Lembro-me ainda de uma série televisiva chamada Perry Mason. Assisti algumas vezes a um filme chamado “Doze Homens  e Uma Sentença”, em suas duas versões, e o que mais me agradava ver nestes filmes era o triunfo da justiça, coisa rara de se ver hoje em dia. O que vem acontecendo no Congresso Nacional nos dá a medida exata da podridão do país.


Instituições falidas, advogados que fazem de tudo para manter seus clientes fora da cadeia. Eu pensava que o direito de defesa fosse para garantir ao acusado que ele não recebesse pena superior à estipulada para o seu crime. Mas que uma vez criminoso, teria que pagar pelo seu crime, pois assim se faria justiça. Assim, todos os criminosos, pobres ou ricos, teriam que acertar suas contas com a justiça. Mas não é assim que funciona. O importante é manter fora das grades os bandidos que podem pagar. Advogados não são mais defensores de seus clientes, são cúmplices. Mostram as caras nas televisões, estão nas primeiras páginas dos jornais. Já repararam quantos políticos também são advogados? Coincidência?


Roubam dentro da lei. Sabem que nunca serão presos. Banqueiros, incluindo os do jogo do bicho, são iguais, estão todos por aí, apostando. Apostas são o que mais sabem fazer.


Com gente assim tão poderosa, fica fácil manter o crime organizado. Mas o que se viu hoje no Fórum de São Paulo, eu jamais esperaria ver ou que um dia pudesse acontecer.
Que desrespeito! Que nojo! E pensar que fomos nós que deixamos as coisas chegarem a esse ponto. O incentivo que essa gente está dando ao crime é coisa inacreditável!
Difícil de imaginar. E é por isso que estamos vivendo num mundo tão conturbado, tão violento, tão mentiroso e tão confuso. Sem verdade não haverá justiça, sem a justiça o homem nunca será livre e sem liberdade jamais encontrará a paz!
 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor