Ivan Jubert Guimarães
26/06/2006
 



Segundo dados da ONU, 200 milhões de pessoas usam drogas ilícitas ao redor do mundo, pelo menos uma vez ao ano. E metade deles, usa drogas pelo menos uma vez ao mês. E isso sem falar nos que apenas bebem ou fumam, pois o tabaco e a bebida são drogas lícitas. Acho que droga lícita é aquela que paga imposto. Eu fumei por mais de 30 anos e já faz muito tempo que abandonei este prazer ou, deveria dizer este vício? Aliás, largar de fumar é bastante fácil, eu mesmo já havia largado um monte de vezes. Só não consegui de deixar de beber meu uísque de vez em quando, aí bebo uma vodka, ou um vinho ou cerveja, Ou então me contento em apenas subir pelas paredes.
Acho que foi Maurice Chevalier quem disse certa vez que não há nada melhor do que o segundo uísque. De fato, a primeira dose queima um pouco a garganta. Mas do segundo em diante, desce redondinho. Não estou fazendo nenhum mal dizendo isso, a ONU diz que essas drogas são lícitas.

Parece ser um mercado altamente promissor se olharmos para a população mundial! É um mercado muito, mas muito maior do que o mercado de alimentos, pois a fome continuará matando muita gente ao redor do mundo pela eternidade afora. O ruim disso é quem não come não pode desfrutar de um aperitivo antes e nem de um cigarro depois. Vida besta esta, onde não se pode satisfazer nenhuma das necessidades básicas. Mas tem uma coisa boa nisso tudo, apesar da fome, devem estar muito mais limpos do que nós por dentro. De vez em quando eles vêem um avião passar ao longe, e do alto jogarem alguns sacos de mantimentos que estouram ao cair no chão e se transformam em poeira. Mas sempre sobra alguma coisa, caso contrário não correriam mais atrás de aviões. Fico imaginando se nessas regiões o alimento também é ilícito, assim como a liberdade deve ser ilícita também, já que essa população faminta prefere correr atrás de aviões de que correr para fora de lá. Nem pássaro voa por lá, só aviões, que depois de se desfazerem das cargas voam vazios de volta para de onde vieram.

Os satélites, dizem, enxergam uma pessoa há milhares de quilômetros de altura, mas parece não conseguirem localizar as plantações de coca, maconha, papoulas, espalhadas pelo mundo, Claro que sabem onde está cada plantação, mas já vimos que o mercado potencial é grande demais. Bombas de napalm poderiam queimar tudo, mas também parece que tais bombas só servem para ser jogadas onde existem pessoas.

Daqui há um ano, iremos ler sobre uma nova pesquisa do consumo de drogas ilícitas e veremos que os números terão crescido muito em relação aos apresentados hoje. Como esse mercado cresce tanto sem propaganda? Ou ela está nos filmes que passam nos cinemas e nas televisões do mundo todo, ou ainda está na propaganda boca a boca? É a melhor de todas! É testemunhal.
Mas chega de falar nessa droga.

 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor