Ivan Jubert Guimarães
04/04/2011
 


O autoconhecimento proporciona grandes mudanças na gente.
Desde que o mundo é mundo, o homem tem-se preocupado em responder quatro perguntas básicas:


"Quem sou?"
"Onde estou?"
"De onde vim?"
"Para onde vou?" (Se é que vou)


O grande filósofo Sócrates já dizia: "Conhece-te a ti mesmo!" E não é fácil o processo do autoconhecimento. Você tem que baixar a guarda e reconhecer não apenas suas eventuais virtudes, mas também, e principalmente, os seus defeitos.


Quando você, finalmente, conseguir o autoconhecimento você se tornará senhor de si. O caminho, no entanto, é difícil e árduo e cansativo. Só os fortes conseguem. É muito mais fácil deixar a vida nos levar sem nos preocuparmos com o Universo, com o Todo, do qual somos apenas uma parte.


Quando você se conhece, automaticamente você começa a conhecer os outros. Basta olhar, ou ouvir o que dizem, e você terá a imagem perfeita da pessoa e, acredite, não errará em seu sentimento.
Com o tempo você vai mudando e vendo o mundo com outros olhos. Basta para isso entender que tudo o que acontece tem que acontecer, pois é disso que precisamos.


Muitas vezes criticamos a mídia por mostrar apenas notícias ruins, mas no fundo é o que gostamos de ver. Basta ver o número de pessoas que se juntam para ver um corpo estendido no chão, um atropelamento, um acidente de carro que provoca grandes congestionamentos nas ruas e avenidas e estradas apenas pela curiosidade.


Grandes catástrofes que acontecem não te atingem mais, seja na região serrana do Rio de Janeiro, seja no Haiti, na Tailândia, no Japão, na Líbia ou qualquer outro lugar do mundo. Isto acontece porque você já entendeu que é necessário.


O homem é egoísta por natureza, é vaidoso, é ciumento e quer tudo para ele. Muitos homens não se preocupam em ter as respostas daquelas perguntas acima, porque elas trazem sofrimento e mostram a insignificância de seu tamanho.


Chega uma hora em que você começa a sentir um desânimo muito grande e acha que nada mais vale a pena. Você se pergunta pra quê? Muitos se deixam cair em uma profunda depressão. E você, está deprimido? Coitadinho! Saiba que depressão é falta de objetivo. E por falar nisso, você tem algum? Está indo atrás ou esperando que caia do céu?


Quando você se conhece, e conhece os outros, você começa a se sentir sozinho. A solidão passar a ser sua companheira. E aí a coisa pega. Além do desânimo, ainda vem uma solidão? Pois é, são os riscos do viver. É o preço que se tem que pagar pela evolução.


Isso acontece comigo algumas vezes e confesso que não é fácil lidar com essas coisas. Aprendi, no entanto, que a cada vez que eu me sentir assim, eu devo mergulhar no desânimo, ir até o fundo e entender a causa ou o efeito. Na verdade, tudo é efeito e só existe uma causa. Conhecendo isso eu não sofrerei mais e entenderei que sempre é entre mim e Deus. Entenderei que eu não preciso de ninguém para viver, porque sou eu comigo mesmo. Ninguém irá querer morrer em meu lugar.
 



Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor