Ivan Jubert Guimarães
50 anos depois

 

 


Estou no ano de 2013, mês de dezembro, faltando dez dias para a véspera de Natal. Há muito pensava em passar-lhe algumas informações do que vi e do que aprendi nos anos vividos até aqui.

Entre as coisas que eu aprendi, o medo é a mais insignificante delas. Algumas vezes ele nos empurra para frente, mas, na maioria faz com que fujamos ou fiquemos estáticos diante de uma situação qualquer.

Você que está com quinze anos vive o medo de viver o seu primeiro amor. Você pensa que a idade é documento para namorar, ou então, que é necessário estar bem adiantado na escola para impressionar a garota de seus sonhos. Pode ser que em 1963, as coisas ainda sejam assim, mas eu garanto a você que isso não tem a menor importância.

Você teve mais de uma oportunidade de conquistar a garota, mas deixou-a escapar, como se abrisse a gaiola do pássaro encantado e ele simplesmente voou.

Você preferiu o sonho a enfrentar a realidade e o medo foi o responsável por isso.

Hoje, em meu tempo, eu descobri que o tempo não existe. Você e eu estamos vivendo simultaneamente no agora. Alguns chamam a isso de universo paralelo, onde o passado e o futuro se encontram sempre com o presente. É algo meio complicado de explicar, mas é como se o passado fosse o presente do futuro e o futuro fosse o presente do passado. Isso mostra apenas que existe apenas o presente. Quando traçamos a linha no tempo em uma folha de papel, o presente está sempre no meio do desenho. O que está para a esquerda dizemos que é o passado e o que está à direita dizemos que é o futuro. Talvez seu professor de física possa explicar melhor isso para você.

A garota de seus sonhos ainda existe tão bela quanto antes. O "tempo" não passou para ela, embora coisas tivessem acontecido. A saudade é a certeza de que vai haver um reencontro, portanto, você ainda irá encontrá-la.

Neste exato instante, você e eu estamos vivendo o mesmo momento, não é outra dimensão, é a mesma terceira dimensão. É algo que nos faz caminhar lado a lado, mas cada um vivendo sua vida de acordo com a escolha feita. É a mesma vida, mas vivida em um universo paralelo. Talvez eu tenha andado mais depressa e tenha visto coisas que você ainda não viu. Por outro lado, o mundo em que você está é mais puro e cheio de sonhos que não existem mais no meu mundo particular.

Mas a coisa mais importante que eu quero lhe dizer Ivan é para que você não fuja do amor por causa de um medo infundado. Corra atrás do passarinho que voou. Talvez você tenha uma bela surpresa na vida.
 

 

Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor
 

 

 

Midi: Yesterday - instrumental