Ivan Jubert Guimarães
24.07.2006
 


Dizem que filho de peixe, peixinho é! Todos nós já ouvimos isso em nossas vidas. Somos os espelhos da vida, no qual nossos filhos se baseiam para assumirem suas próprias personalidades. Muitos desses filhos seguem as carreiras de seus pais, pois espelharam-se fielmente neles. Outros seguem suas carreiras pressionados pelos pais. Mas há aqueles que o fazem pela simples admiração e pelo orgulho que sentem do sucesso de seus pais. E, finalmente, têm aqueles que seguem suas carreiras solo, preferindo escolher eles próprios os caminhos na vida. Mas, quase todos, carregam dentro de si, o modelo paterno de conduta e de respeito, pois agem dentro de suas casas do mesmo modo como vêem seus pais fazendo.


Ivan Lins e Victor Martins escreveram uma das mais belas páginas musicais da Música Popular Brasileira, intitulada Aos Nossos Filhos. Esta música é o canto de um pai pedindo perdão aos filhos pelo que sua geração fez contra o planeta, contra a destruição da cidade, dos jardins e onde pede que seus filhos contem pra ele o gosto da fruta que eles colherem. A música é maravilhosa tanto na voz de Ivan Lins, como na voz de Elis Regina.


E hoje, eu me lembrei dela, de cada um de seus versos. Lembrei dela olhando para as páginas da revista Veja e vendo retratinhos de mais de cem deputados envolvidos com a máfia dos sanguessugas, além de sessenta prefeitos. E isso sem falar nos tantos outros que também se envolveram nos escândalos do mensalão, dos correios, dos bingos e por aí afora.


E fica uma pergunta no ar: Como os filhos dessas pessoas reagem vendo as fotos de seus pais espalhadas pelas páginas das revistas e dos jornais, como sendo corruptos que estão destruindo a moral desta nação? Com que cara eles poderão ir para as escolas, encontrar-se com seus amigos, com namorados ou namoradas? Quantos desses pais terão a coragem e o respeito de se desculparem perante seus filhos pelos atos baixos que estão cometendo? É difícil de dizer, pois em muitos casos, os filhos também já estão envolvidos, assim como suas mães, pois a covardia destes homens é tamanha, que para não deixarem provas de seu envolvimento, envolvem seus familiares. Eu duvido que esses deputados tenham a coragem de se desculpar diante de seus filhos pelo que estão fazendo. Homens que não honram os votos que receberam, que lesam seus municípios, e seu país, não têm moral para se desculpar com ninguém. Vão alegar serem vítimas das oposições e assim por diante. E, se estes peixinhos forem seguir as carreiras dos pais, tornando-se deputados, prefeitos, senadores, o que resta esperar a não ser a multiplicação dos atos de corrupção? Só nos resta torcer para que eles sintam vergonha dos atos paternos e maternos e sigam caminhos diferentes dos caminhos percorridos pelos seus pais.
 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor