Ivan Jubert Guimarães
25/04/2008
 


O sujeito é pego em flagrante com uma mulher na cama pela própria esposa:
- João! Você pode me explicar o que é isso?
- Isso o que Ritinha? – responde um João super tranqüilo enquanto a mulher sai da cama cobrindo-se com um lençol e correndo para o banheiro.
- Como isso o que? Você ai deitado neste quarto de motel!
Nisso a mulher passa correndo meio vestida e sai do quarto.
- João, você pode me explicar quem é essa mulher?
- Que mulher meu amor?
- Essa vagabunda que acaba de passar.
- Ritinha, você está vendo coisas, não tem mulher nenhuma aqui, pode revistar o quarto.
- João, seu canalha, eu sei que agora não tem mulher nenhuma no quarto.
- Ora, se você sabe, por que está brigando comigo?
- Você não presta mesmo seu cretino, tinha uma mulher pelada aqui no quarto agora há pouco!
- Tinha? E por que você não me avisou?
- João, não me faça perder a paciência, você estava na cama com uma mulher. E tem mais, você está pelado, não está?
- Mas claro meu amor, você sabe que eu sempre deito pelado. E você nunca reclamou antes.
- Mas você não presta mesmo seu cretino, eu devia matá-lo.
- Só porque estou pelado?
- Não seu, seu, seu imbecil!
- Ritinha, eu exijo que você me dê explicações sobre o que está acontecendo aqui.
- Eu?? Dar explicações para você? Você acha que eu sou idiota?
Um silêncio se segue até que Ritinha volta a falar:
- Como é, vai me dizer ou não?
- Dizer o que Ritinha?
- João, você está louco, não sabe mais o que diz e nem o que faz!
- Mas Ritinha, nisso você tem razão, eu não sei mesmo do que você está falando.
Ritinha se abaixa e pega algo do chão e mostra para João.
- E isso aqui, e isso aqui – diz ela sacudindo o objeto – você pode me dizer o que é isso?
- Claro que eu posso, é uma calcinha!
- Ah seu canalha, então você admite que isso aqui é uma calcinha?
- Mas claro Ritinha, eu sei o que é uma calcinha, já te dei tantas!
- Ai João, não sei mais o que faço com você! Tenho vontade de esganá-lo. E você pode me dizer de quem é essa calcinha?
- Posso.
- Então me diz infeliz!
- É sua, meu amor.
- Minha? Você não presta mesmo! Como pode me dizer que essa calcinha é minha?
- É sua sim, meu amor. Olha, você deve ter saído tão depressa de casa que se esqueceu de vesti-la.
- João, você acha mesmo que eu sairia de calça sem calcinha?
- Não sei, mas a calcinha está na sua mão, não está? Por que você não levanta sua saia e a gente constata tudo? Juntos!
Ritinha acaba concordando indignada e levanta a saia mostrando uma linda calcinha cobrindo suas partes íntimas.
- Está vendo palhaço, eu estou usando minhas calcinhas.
- E são lindas meu amor, deixam seu corpo maravilhoso. Vem cá vem!

 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor