Ivan Jubert Guimarães


Mãe,
Fonte da vida terrena,
Uma vida cheia de beleza,
Mas que é curta muito pequena.

Mãe,
A mulher que mais amor me deu,
A melhor educadora com certeza,
Deste que este teu filho nasceu.

Mãe,
Agora que estás em outra dimensão,
Confesso que sinto muita tristeza,
Mas te terei sempre no meu coração.



Ivan Jubert Guimarães
27/04/2011
 

 

 

 

 

 

 

 ZzCouto


Mãe,
Você foi felicidade, ternura e bondade,
sua vida repleta de carinho e amor,
me ensinou a fazer caridade.

Mãe,
Ah! Quanta saudade! Hoje sou o que sou,
porque você foi a mestra querida.
Sei, estás com Ele, mas a sua presença ficou.

Mãe,
Um dia estaremos juntas novamente,
e, então com você, certamente irei aprender,
como é viver eternamente...


ZzCouto
28/04/11
 

 

 

 

 

 

 

Nancy Cobo


Mais um ano e a saudade é imensa
Preciso de voce hoje mais do que nunca
Sinto-me só, precisando do teu colo
da tua orientação, dos teus conselhos
e no lugar, tenho a saudade,
as lembranças de como éramos felizes
das nossas brincadeiras,
das nossas cantorias,
dos bailes em que sua presença sempre marcante
trazia alegria para todos ,
das danças em que risonhas, eu, voce
e minha irmã sabíamos o que era felicidade.
Onde tínhamos o verdadeiro amor.
Mãe
Porque se perde quem se ama?
Porque se sente essa saudade que às vezes dói, e que às vezes nos faz sorrir.
Mãe sempre conjuga o verbo amar, em todas as conjugações,
mas principalmente no simples ato de amar.

Obrigada Mãe, por ter me ensinado a amar
e foi por esse amor que criei meus filhos, seus netos,
Que também estão sendo criados pelo amor que voce nos ensinou

Mas Mãe, alivia meu peito, a saudade é grande, e às vezes me vejo olhando para o céu e te chamo.
Mãe de uma coisa eu tenho certeza
quando chegar o dia da minha partida, eu sei
que voce virá ao meu encontro
e me guiara de mãos dadas
para conhecer a minha nova morada.

Mãe de onde voce estiver queria muito
Dar-te um beijo e dizer
Feliz dia das mães
Eu te amo.
Mãe saudade...


Nancy Cobo

 

 

 

 

 

 

 

 

Ariovaldo Cavarzan


Terno é o balé de trinchas e pincéis,
fazendo restar tons vibrantes e pastéis,
em telas de amor e de candura,
imitando afetos temperados em doçura.

Está composto um ritual de encantamento.

Vultos diáfanos e luminescentes deslizam em cortejo,
levitando por sôbre perfumados canteiros.

Fragrâncias se espalham no ar e tudo ao derredor se encanta,
envolto em emanações que a saudade espanta.

Coloridas partículas flutuam, num balé de delicadezas,
coreografado ao sopro da brisa, fazendo acalmar incertezas.

Aquarelas representam filhos amados,
na intensidade do amor de Mães.

Brilhos são preces colhidas,
em jardins de corações,
depositadas em texturas de emoções.

Vermelho representa amor intenso;
azul, a paz do Céu reproduzida;
verde, em tons fortes ou esmaecidos,
imita afetos, vividos e esquecidos,
sinalizando limiares de esperanças,
em afiados cinzéis nutridas,
e depois em frinchas esvaídas.

Matizes amarelos,
mais claros, ou mais belos,
simbolizam amados filhos especiais,
que, embora jamais esquecidos,
ternos abraços não alcançam mais.

Difícil escolher dentre elas,
aquelas que se tenham por mais belas.

Matizes policrômicos sugerem flores,
num festival de saudades e amores,
transformando virtuais pinturas,
em carinhos de afetos e canduras.

Há serenidade em mais um alvorecer,
e é domingo, o segundo, em Maio,
em que tudo está a acontecer.

Há festa nos corações daquelas,
que o doce mister das Mães sustém.

Há alegria no plano das que se foram,
e das que ficaram também.


Ariovaldo Cavarzan
Campinas, 13/04/2011
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lêda Therezinha Rubin

 

Sinto você em cada passo,
Em cada sopro do vento...
Em cada etapa da vida,
Em horas de desalento.


Sinto seu cheiro, perfume,
Em cada flor que aspiro,
Sinto seu toque materno
Em todos os meus suspiros.


Vejo o brilho de seus olhos
Nas contas do meu rosário,
Ouço sua voz de acalanto
Nas luzes do meu sacrário.


Ouço ainda seus conselhos,
Como belas melodias,
Sinto anjos que me guiam,
Com suas mãos e maestria.


Percebo em mim ainda hoje,
Seu amor, sua bravura,
Por todos os meus deslizes,
Corrigidos com ternura.


Sinto suas mãos macias,
Acariciando meus cabelos,
E a discreta melodia
Demonstrando seu desvelo.


Sua escola, ainda lembro,
Foi de uma sabedoria!
Pois, os seus ensinamentos,
Nunca mais esqueceria!
 
No meu carinho de mãe
Sinto sempre teu abraço,
Meus filhos, são como seus,
Apoiados em meu regaço!


Percebo em mim, claramente,
O teu ímpeto fraterno
Quando chorando sorria,
O teu coração materno.


Sinto ainda sua coragem
Praticando a humildade,
Vejo em cada ser humano
Traços de tua bondade.


É de ti mãe que me lembro
Quando a vida me aborrece,
Faço, então, o que ensinaste,
Consagro a Deus uma prece.


Ser mãe é um compromisso,
Ao dom que Deus nos legou;
Traz-nos algum sacrifício,
Mas o amor o superou.


As mães que já deixaram
O convívio da família,
Estão na mesa do Senhor
Recebendo a sua partilha!


Receba, Mãe, meu carinho,
Neste dia especial,
Junto a Deus Nosso Senhor,
Em sua paz celestial!
 

 

 

Lêda Therezinha Rubin

 

Soledade/RS, abril de 2011

 

 

 

 

 

 

 

Rita Bello


Minha Mãe, doce lembrança
Que o Pai do Céu levou
Me ensinou desde criança
A ser o que hoje sou.

Ternura, dedicação
Zêlo, tranquilidade
Me orgulha o coração:
-Tive uma Mãe de verdade!

Nos ensinou com o exemplo
A seu modo, do seu jeito
Fez da nossa casa um templo
De amor, carinho e respeito.

Ah...minha mãe que saudade!
De tê-la aqui do meu lado
Mas agora a realidade
É viver o seu legado.

A você esta homenagem
Muito mais que merecida
Pela fé, pela coragem
Com que viveu essa vida

Meu desejo é tão somente
Por tudo que me ensinou
Ter germinado a semente
Que um dia você plantou.


MÃE RITA, ouça o que digo
Com toda minha emoção
Você estará sempre VIVA
Dentro do meu coração!


Rita Bello
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Iô Tambas



Mãe, palavra profunda
Que nos deixa acalentados
Calmos,
Protegidos,
Muito amados.
Quanto mais se pronuncia,
Maior o seu significado.

O M é de Máximo
Maior
Melhor
O A é de Acréscimo,
Aconchego,
Amor
O E é de Extremo,
Envolvimento,
Explendor

Se a gente sente uma alegria
É com a Mãe que a gente tem
O prazer de dividir
Se a gente sente uma tristeza
É com a mãe que a gente sente
Necessidade de desabafar
Se a gente é homenageado
É com a Mãe que a gente quer
Se unir para sorrir
Se a gente sofre uma decepção
É pra Mãe que a gente corre
Pra se aconselhar

Se é uma boa notícia,
É pra Mãe que a gente corre
E conta logo
Se a gente está desamparada
É na nossa Mãe que a gente pensa
E quer o colo
E quando a nossa Mãe desencarna
A gente chora
E perde o solo

E como a minha MÃE RITA
Já está no plano espiritual
Penso nela todos os dias
De uma forma especial
Sou muito agradecida
Por todo o seu astral
Fui muito bem protegida
MÃE RITA: Você é a Maioral!


Iô Tambas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

José Ernesto Ferraresso


Mãe, depois de nove meses,
Fez me ver e sentir as belezas deste mundo.
Meu coração batia dentro de você,
Quantas vezes me sentia mexer e até chutar.

Sua alegria era radiante,
Sem me conhecer, já me amava,
Sem saber meu sexo, fazia planos
Sua emoção era constante.

Não via a hora em que eu viesse
Cuidou dessa sementinha até chegar ao mundo.
Com certeza, várias vezes, sentiu-se mal e até chorou,
Recusou muitas coisas em prol de mim.

Rezou por uma sagrada hora,
Pediu a Deus que eu nascesse saudável,
Ansiou ter-me nos braços, cuidar-me,
Para que eu pudesse conquistar e vencer.


José Ernesto Ferraresso
Serra Negra
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Adelia Mateus


Mãezinha!
De onde a senhora está, sei que
sabe a saudade que sinto.
Como é difícil o meu viver sem a
sua presença.

Vivo das lembranças do passado...
Mulher batalhadora que soube
me mostrar os caminhos da vida.

Tudo que sou hoje agradeço o esforço
e sacrifício que fizeste por mim.
Mas o que eu queria mesmo, é
ter a senhora ao meu lado.

Sei que papai do céu a queria ao lado dele.
E eu fico aqui chorando, sentindo sua falta.
Os anos passam mas a saudade continua a mesma.

O vazio que sinto é imenso.
O que me conforta é saber que quando
chegar a minha hora ficarei ao seu lado.


Beijos eternos de sua filha.


Adelia Mateus
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Edna Feitosa

 

 

Na verdade, mãe, li não sei onde , que mãe é esse ser sagrado, abençoado, protegido em especial pelos anjos. Deve ser. Mãe é pra cedo, à tarde, à noite, sem descanso. Mesmo que ela tenha rosto jovem ainda e esse cheiro de talco e sabonete que você ainda deve ter, o qual me dá tanta saudade.

Mãe é pedra por fora, trasgos¹ dessa vida e doce de leite por dentro, vontade de Deus. E a nossa mãe é sempre a mais bonita, a mais inteligente, a mais-mais... E você pra mim é a mais importante de todas as mães juntas: é a minha mãe! E não é só por isso que é especial, não. É porque você me ensinou coisas que talvez não estejam em nenhum manual das mães dos outros: confiar no mundo, acreditar na vida e nas pessoas, respeitar e gostar de literatura, café com leite e... tentar sempre! Ensinou-me a fazer da experiência do fracasso, uma lição para o futuro. E mais: que o amor é a coisa mais importante que existe nesse mundo e que a liberdade total que se dá aos filhos nem sempre é amor, é rendição, irresponsabilidade, descompromisso para com suas vidas. E foi por isso mesmo que
você me bateu muitas vezes, mas me abraçou muito, compreendeu, perdoou e ensinou milhares de vezes mais...

Sei que se pudesse ler isso, você que é puro doce de leite, iria chorar feito eu no seu colo quando menina. Então, aproveito pra dizer que até chorar você me ensinou. Que é bom, alivia... que depois do choro, tudo vira arco-íris. E é um arco-íris que eu mando a você agora, pra que possa por em sua testa ao redor dos cabelos. Pra quando os anjos a virem passar, fiquem sabendo que você sempre foi a mãe mais amada do mundo!

...Nós estamos longe agora, de novo, como tantas vezes. E a saudade chega doendo mais que as chineladas que levei . Receba meu beijo estalado como aqueles beijos tão gostosos que te dei quando menina!
 

 

Edna Feitosa

 

 

 

 

 

 

 

Thais S Francisco
"beijaflor"


Como descrever em poesia
a essência do Ser a quem
Deus, chamou de
Mãe?

Sublime Ser
que esquece de si mesma,
em prol de seus rebentos,
sejam eles gerados, ou não,
em seu ventre.

Essa divina essência
do Ser Mãe, é quase impossível
tentar descrever. É um mistério
que não se explica com palavras, mas,
que se sente na alma, no coração,
e, encanta aos olhos a ternura com que
se multiplica, para atender com Amor,
a necessidade de cada filho seu,
sejam eles quantos forem!

Com incondicional Amor,
ensina, educa, acarinha.
Repreende, quando se faz necessário.
Ensina a unir as pequeninas mãos em oração.
Mostra os caminhos que devem ser seguidos,
para que os pés não falseiem, nesta
caminhada chamada
Vida!

Este Sublime Ser,
é Mãe, Mulher, Mestra, Amiga e Companheira.
Sempre pronta a enxugar as lágrimas,
incentivando o sorriso.
Sempre pronta a aplaudir as conquistas,
emocionando-se ao se sentir
a mãe mais feliz do mundo!..

Seus braços sempre abertos, oferece o refúgio
em seu peito, para todo e qualquer momento
que seu filho necessite, seja ele ainda pequenino,
ou já bem crescido, pois sempre será
a eterna guardiã dos seus
amados filhos, tenham eles
a idade que tiverem...

Mãe,
trazes na tua essência,
a sublime criação de DEUS!
 


Thais S Francisco
"beijaflor"

 

 

 

 

 

 

 

 

Jorge Jeziersky

Mãe é apenas uma expressão desta dimensão.
Esconde na verdade a natureza do amor sublime.
Cada uma ao seu tamanho, irradia o seu comprometimento
de amor. Seres abnegados que cumprem mais do
que evoluir, encaminham outros também.
Confesso, não entendi quando a minha voltou para
"casa", no meu egoismo pretendia próxima pela
eternidade. Logo, logo mesmo pude sentir que
esse ser, em outro campo vibratório continuava
a me embalar e se fazer sentir. Sim, se fazer
sentir. Descobri que fui duplamente premiado,
com uma mãe e um anjo.
Que a eternidade permita ser sempre seu filho.
Não, não é poema, apenas a voz do coração.


Jorge Jeziersky

 

 

 

 

 

 

 

Eda Carneiro da Rocha


Mãe que tanto amo...
Tantos anos longe, mãe amada!
Minha Eterna Borboleta do Amor
assim eras chamada!

Com teus olhos dadivosos abraçavas o mundo,
cuidavas das crianças carentes sempre.
Sinto falta deste olhar que sempre me acompanhou,
e agora me acompanha ,eu o sinto, em outra dimensão!

Mãe, pura és, minha eterna mãe.
A saudade é muito grande, em meu coração.
Quero te louvar, te agradecer,
por tudo que me deste, dadivosa mãe!

Olha por mim, muito o necessito.
Não te separes nunca de mim.
Estou ainda aqui, mãe!

Tantos anos se passaram...
Sou tua como jamais o fui,
esperando te alcançar um dia,
do outro lado da vida, recebendo de ti
amor e carinho, dadivosa mãe!


Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor
"
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Naidaterra

Uma mulher que vence pelo amor,
é pura emoção e pensa com o coração...
Vive trilhões de emoções num só dia
e transmite cada uma delas com o olhar,
sempre atenta para se doar, ela não falha...
Mãe só ama e cobra de sí mesma
a perfeição, mas vive justificando os erros
daqueles que ama.
Seu ventre é um hóspede de almas,
e seja lá quem estiver chegando, já é
um Ser amado... desejado ....
MÃE é pura magia,
transforma dores em alegrias e, se rasga
pelo filho amado seja lá o tamanho da dor...
Eu sei!
Sou Mãe...


Naidaterra
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carmo Vasconcelos



Tal Rainha Santa que das rosas fez o pão,
Tu tornas, mãe, nesse teu ventre, o amor em filhos!
Nessa alquimia, os vais juntando, quais cadilhos,
À nívea franja do teu grande coração!


Não sendo tu Rainha ou Santa, és abençoada,
Por milagrosamente o teu corpo gerar
O poema excelso, transcendente e milenar,
Parido em sangue e dor na carne lacerada!


Dores atrozes que, extasiada, desmereces
Ao no regaço ter o frágil ser que aqueces
Ao calor ímpar desse instante divinal!


E desligado o tênue fio umbilical,
Só rompe a morte esse amarrado amor materno,
Posto que atado foi no céu pro Pai Eterno!



Carmo Vasconcelos

Lisboa/Portugal
 

 

 

 

 

 

 

 

José Antonio Jacob


Minha mãezinha é aquela que não chora
E traz em casa as compras na sacola,
Depois me deixa no portão da escola,
Manobra o carro em frente e vai embora.


Minha mãezinha não esperdiça a hora,
Sai a trabalho assim que o sol descola,
Almoça e janta todo dia fora,
Mas o domingo inteiro me consola.


Se estiver sozinho eu não sinto medo,
Quando ela chega tarde é sempre cedo
E entra a sorrir dizendo que me adora...


Antes de me deitar eu penso nela
E peço para que Nossa Senhora
Derrame a luz do Céu na vida dela



José Antonio Jacob

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Teka Nascimento



"Alooo... mãe?...Bençá mãe!!! "

Era sempre assim que as nossas conversas
por telefone começavam... Saudade!!!!

Hoje mãe,falo com você novamente,
e começamos nossa longa conversa.
Eu lhe contando tudo longamente,
e você a tudo ouvindo e sem pressa.

A sua voz sempre calma,
era tudo que eu precisava escutar,
Trazia paz a minh'alma,
e aquecia o meu caminhar.

Hoje sinto-me desamparada
mas vou seguindo pela estrada,
Com lágrimas banhando meu rosto...

Eu sei...mãe, que logo a encontrarei
e nos seus braços novamente estarei,
E nesse dia lhe darei, o mais lindo sorriso.


Teka Nascimento
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Zeca Feliz Avelar


Foi Assim...

Um Dia - o de Tudo Criador
com sua Divina Inspiração
resolveu criar um Ser
com a Divina Perfeição

Para não fazer às pressas
esse Ser em sua essencia
foi o criando aos poucos
dotado da Divina paciencia

Por antever os futuros
que teria em seus momentos
deu ao Ser a maior força
para suportar mils sofrimentos

Deu a esse Ser Especial
que ora fazia nascida
a missão de gerar dentro de si
novos seres... novas vidas!

Deu a garra - a determinação
para defender suas crias queridas
até para quando preciso fosse
defende-los com sua vida...

Fazendo a Inspeção Final
o Criador Seu Ato encerra
e para cumprir suas missões
esse Ser manda pra Terra...

Antes - como acabamento Divino
tão próprio do Criador
de seu Sopro mais Divino
enche esse Ser de Amor!

Deu-lhe o poder dos Anjos
na Divina Hierarquia
e também por necessária
parte da Divina Sabedoria

Só não lhe deu o Criador
por Divina opção nenhum nome
deixando isso ao encargo
dos que o Ser mataria a fome...

Assim, foi e assim será
que chamamos a esse Ser
pelo simples nome de Mãe
- A que fez você nascer!

Mesmo quando a mal tratamos
Ela sabe o quanto a amamos
Quando chora por nós de amor
Também faz chorar ao Criador!

Afinal - por razões Divinas
que sé ELE mesmo deve saber
Até o seu Divino Filho
foi gerado por esse Ser!

Quando cuida dos filhos seus
u'a Mãe é o Próprio Deus...
...
Bença Mãe que nos gerou...
Bença Deus e NatureZa Mãe !!!


Zeca Feliz Avelar
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Regina Coeli


MÃE... Apenas três letras mais um til
Cantados muito simples neste verso;
Um nome do tamanho do universo,
Tão amplo o seu conceito, e tão sutil.


MÃE... Ditoso e sublime amor servil
Em horas de cansaço até perverso;
Feliz ninar no berço mais diverso
Que o conjugar do verbo amar pariu.


MÃE... Pintura da Vida em majestade
No olhar que luz um brilho feito estrela
Sobre a estrada pro filho percorrê-la.


MÃE... Abnegação e caridade;
Doce amor transformado na saudade
Doída que hoje sinto por perdê-la!



Regina Coeli



 

 

 

 

 

 

 

 

Ruthy Neves


Tem dias que a gente...
quer mesmo é ficar quietinho...
sem nem um ruído...
apenas com o nosso silêncio.
Mas eis que chega... devagarzinho...
sem falar nada...
toda preocupada...
aquela que sempre tem uma palavra...
de amor e de carinho...
com muitos afagos.
A gente dá uma espiadinha...
como não falar com ela?
Tenho que falar.
Preciso da sua voz.
Preciso dizer que ela no meu mundo...
é sempre bem vinda.
Mesmo nada querendo...
querendo, apenas ficar sozinho...
eu preciso dela.
Ela foi embora?
Será que volta?
Vou buscá-la... não posso esperar.
Ela é especial!
Quero ficar sempre perto dela.
Ela é minha Mãe amiga... sempre amiga!
Agora de verdade ela se foi...
se pudesse eu iria buscá-la...
porem, com Deus...
eu tenho que esperar a minha hora de chegada...
mas sei que sempre estará preparando o caminho.


Eu a amo, nunca esquecerei do nosso tempo juntas.



Ruthy Neves
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sá de Freitas

Há tempo já, não vejo o teu semblante,
Que tinha em si dos Anjos a brandura,
Que expandia a mística ternura ,
De um ser bondoso, meigo e aconchegante .

Não vejo há tempo o teu olhar brilhante,
Que me envolvia em dúlcida candura,
Nem teu sorriso cheio de ventura,
Quando me vias, às vezes, triunfante.

Ah! Mãe! Por que partiste aquele dia,
Me abandonando aqui nessa agonia,
Para viveres na Eternidade?

Bem sei que das algemas te livraste,
Mas neste mundo a sós tu me deixaste,
Acorrentado à dor de uma saudade.


Samuel Freitas de Oliveira
Avaré-SP-Brasil
 

 

 

 

 

 

 

 

Eri Paiva


Quando um novo ser é gerado
Entenda-se ser isto um recado
Do amor maternal de Deus!


Só Deus é o Senhor da Vida!
Da sua criação mais querida,
Escolheu a mulher e a fez mãe.


Pôs no seu coração a ternura,
Encheu-lhe a alma de doçura
Para uma nobre e difícil missão!


A mulher que é toda intuição,
Ouviu, em seu coração,
Um Deus-Mãe dizendo assim:


Esta criança Sou Eu!
Eu me faço filho teu!
Por favor, cuide de Mim!


Eri Paiva


Natal/RN –  05. 05. 2011

 

 

 

 

Livro de visitas